4 Dicas Eficazes Para Mapear as Notas no Braço da Guitarra

Uma das piores situações na vida de um guitarrista é aquela em que tocamos certas notas  no braço da guitarra mas não conseguimos, ou demoramos demais, para dizer o nome dessa nota. Ou seja, não conseguimos mapear o braço de nosso instrumento de maneira rápida e precisa.

Isso é relativamente comum para quem está começando, mas para quem já toca há um tempo, saber nomear as notas em cada casa do seu instrumento é obrigação. Entretanto, às vezes ficamos presos sem saber quais são os exercícios que podem nos ajudar no desenvolvimento dessa habilidade, ou simplesmente acabamos deixando de lado para focar em outras coisas.

braço da guitarra

Hoje nós vamos apresentar aqui 4 dicas, que são basicamente exercícios, extremamente eficazes que vão te ajudar, e muito, a resolver esse problema. Portanto, separe entre 5 e 10 min do seu treino diário para realizar esses exercícios.

Em poucos dias você já irá sentir uma melhora e em algumas semanas se sentirá bem mais confortável e conhecedor das notas no braço da guitarra.

Conhecimentos Prévios

Antes de iniciarmos os exercícios devemos ter bem enraizado os conhecimentos teóricos sobre Escala Maior, Escala Cromática e Sinais de Alteração. Eles são essenciais para as dicas que virão a seguir nesse post. Caso você ainda não domine esses conteúdos, dê uma olhada neles e depois volte aqui para os exercícios.

Além disso, iremos utilizar a linguagem das cifras para nomear as notas, portanto, também é interessante você dominar este assunto.

1) Mapeamento de notas por Corda – Horizontal

Esse primeiro exercício é o mais simples e, por isso, consideramos que devemos começar por ele.

Nesse exercício nós iremos identificar todas as notas (de corda em corda) da casa 0 até a casa 12. Depois da casa 12 o padrão das notas se repete, isto é, as notas são as mesmas.

Pense na casa 12 como uma nova casa 0. Resumindo, a nota da casa 0 é a mesa da 12, a da casa 1 é a mesma da 13,  a da casa 2 é a mesma da 14, e por aí vai.

  • Mapeando com notas naturais

Para mapear utilizando as notas naturais, tomaremos como base a Escala Maior:

Escala Maior

Escala Maior é formada pelos seguintes intervalos:

T – T – ST – T – T – T – ST

Obs.: T = Tom             ST = Semitom

Sendo assim, na Escala Maior de C, temos:

Escala I II III IV V VI VII VIII
Dó Maior C D E F G A B C

Por padrão temos a seguinte afinação na guitarra, partindo da primeira (mas fina) até a sexta corda (mais grossa): E,B,G,D,A,E.

Vamos começar com a primeira corda (E). Dizemos que a casa 0 (corda solta) é a nota E. Para calcularmos qual é a nota da casa 1 devemos relembrar a escala maior para saber que depois da nota E vem a nota F, e elas estão separadas pela distância de um Semitom! Lembre também que um semitom equivale a distância de uma casa no braço da guitarra. Sendo assim, da casa 0 para 1 eu andei um Semitom. Se na casa 0 a nota era E, na casa 1 a nota será F.

Agora devemos lembrar da escala maior novamente para saber que nota vem depois do F e quantas casas temos que andar para chegar até essa nota. Se você recorda bem a nota que vem depois do F é a nota G e elas estão separadas por um Tom, logo, duas casas. Isso quer dizer que para sair do F na casa 1 para ir ao G, eu tenho que andar duas casas. Dessa maneira a nota G estará na casa 3.

Continuando. A nota que vem depois do G na escala maior é a nota A. Novamente, elas se separam por um Tom, logo, duas casas. Se o G está na casa 3 e para chegar ao A eu tenho que andar duas casas, o A estará na casa??!!!!

Se você falou 5, acertou miserávi!

A nota seguinte ao A na escala maior é o B e elas estão à um Tom de distância uma da outra. Portanto, se o A está na casa 5 o B estará na casa 7.

Depois do B temos a nota C. E, lembre bem, elas estão separados por um Semitom, logo, apenas uma casa entre eles. Então, O B está na casa 7 e o C está na casa 8! Lembrando que andamos apenas uma casa pois eles se separam por semitom, assim como ocorreu no intervalo E-F.

Agora devemos achar a nota D, que vêm depois do C. Entre elas temos um tom de distância. Portanto, devemos andar duas casa do C (casa 8) até o D que estará na casa 10.

Para finalizar, depois do D temos o E. Eles estão possuem a distância de um Tom entre eles. Então, se D está na 10, eu devo andar um Tom (duas casas) para chegar até o E. Logo, este estará na casa 12!

Lembra que falamos para encarar a 12 como uma nova casa 0. Compare a nota da casa 0 com a nota da casa 12. Ambas são a nota E, em alturas diferentes, é claro, uma mais aguda que a outra, porém, são a mesma nota. A partir daí, a mesma sequência que calculamos irá se repetir até a casa 24 (caso seu instrumento tenha essa quantidade toda de casas).

Agora que você aprendeu a calcular na primeira corda, aplique o mesmo raciocínio nas outras cordas. Você tem que saber qual é a nota da corda solta (casa 0) e seguir a ordem da Escala Maior, tendo atenção aos momentos em que devemos andar um tom e àqueles que devemos andar um semitom.

Essa é a sequência das notas naturais, corda, por corda, na guitarra.

notas no braço da guitarra

E aí? Conseguiu fazer?! Conte-nos sua experiência e, em caso de dúvidas, não hesite em perguntar nos comentários.

  • Mapeando com sinais de alteração

Nessa etapa vamos continuar mapeando as notas no braço da guitarra corda por corda, porém, iremos achar, também, onde estão as notas com sustenidos (#) e as notas com (b). Sendo assim, você terá a sequência da Escala Cromática para te guiar.

Escala Cromática

Ascendente:

C – C# – D – D# – E – F – F# – G – G# – A – A# – B

Descendente:

C – D♭ – D – E♭ – E – F – G♭ – G – A♭ – A – B♭ – B

O raciocínio agora é bem parecido com o anterior, só que iremos andar sempre em Semitons, pois é o padrão de intervalos da escala cromática. Vamos utilizar a mesma corda (E) como exemplo.

Na escala cromática, depois da nota E temos já a nota F, pois elas estão separadas por um semitom, portanto, na casa 1 temos o F.

Agora, partindo do F, nós devemos andar um Semitom (uma casa), pois é o padrão da escala cromática. Iremos parar então na casa 2. A nota que está um Semitom a frente do F é o F#, portanto, ele é quem está na casa 2. Seguindo nossa escala, temos o G um Semitom a Frente do F#. Logo, o G está na casa 3.

Após o G temos o G#, e, como eles estão separados por um Semitom, vamos andar uma casa do G para o G#. Dessa forma sairemos da casa 3 (G) para 4 (G#). E assim você pode seguir até a casa 12.

Para exercitar de forma completa você pode também, começar da casa 12 e ir descendo, assim você irá treinar as notas com bemóis.

Saindo do E na casa 12, você descerá um Semitom (uma casa) para chegar na nota anterior à ela, o Eb. Logo, ele estará na casa 11. Da mesma forma, você segue o raciocínio até a casa 0 novamente.

Essa é a sequência das notas naturais + alteradas, corda, por corda, na guitarra. Repare que nas casas em que ocorrem notas com sinais de alteração temos as duas opções de nome, tanto utilizando o sustenido como o bemol, ou seja, temos a Enarmonia das notas.

notas no braço da guitarra

2) Mapeamento de notas por Casa – Vertical

Agora que você aprendeu a como mapear as notas no braço da guitarra de maneira horizontal, está na hora de evoluir um pouco.

A ideia aqui é bem simples: Você deve escolher uma casa do seu instrumento e tem que ser capaz de identificar as notas de cada corda nessa casa que você escolheu.

Por exemplo: Se você escolher a casa 3, terá que dizer o nome da nota que está na casa 3/corda 1; depois o nome da nota na casa 3/corda 2; em seguida a nota da casa 3/corda 3 e assim por diante.

Faça isso pelo menos em 3 casas  diferentes por dia. Em 4 dias você já terá passado por 12 casas diferentes.

3) Mapeamento de notas por Notas – Geral

Esse eu considero um dos mais interessantes!

Aqui devemos escolher uma nota, por exemplo, “C”. Então, temos que achar sempre onde estão as notas C de corda em corda.

Vamos exemplificar: O C na sexta corda está na casa 8. Depois vamos para a quinta corda, temos que achar o C nela, está na casa 3. Em seguida vamos para a 4 corda, o C está na casa 10 e assim vamos até a primeira corda.

Ao completar a tarefa de achar todos os “C”, escolha outra nota e repita o exercício.

Escola ao menos 3 notas por dia para realizar esse treino. Com o tempo, você será capaz de mapear as notas com mais velocidade e conseguirá identificar todas as 12 notas em todas as cordas em menos de 5 minutos! Pode ter certeza disso.

4)Mapeamento com Metrônomo!

Inicialmente, aconselhamos você a mapear as notas no braço da guitarra sem o metrônomo. Acostume-se um pouco a cada uma das dicas e quando você se sentir um pouco mais confortável, AÍ SIM, comece a incluir o metrônomo nos treinos.

Escolha uma velocidade baixa, a partir de 50, 55 bpm. Escolha um padrão, por exmplo: ” a cada batida tenho que achar uma nota” ou  ” a cada duas batidas acho outra nota” ou até mesmo ” a cada compasso ou troco de nota”.

Não importa o padrão, utilize um que seja confortável para você mas que te forçe, pelo menos um pouco, a pensar mais rápido.

O metrônomo ajuda muito no ganho de velocidade de raciocínio.

Bons Estudos!

6 comentários em “4 Dicas Eficazes Para Mapear as Notas no Braço da Guitarra”

Deixe um comentário