Ciclo das Quintas e Ciclo das Quartas: Tudo o que você precisa saber

Compartilhe a Música

ciclo das quintas e o ciclo das quartas (ou círculos das quintas e das quartas) são muito úteis para nos ajudar a formar as escalas (maiores e menores) e as armaduras de clave. Estes ciclos são sucessões de notas musicais separadas por intervalos regulares.
Para originar o ciclo das quintas, utilizaremos os intervalos de quintas justas (quinto grau da escala maior). Já na formação do ciclo das quartas, utilizaremos os intervalos de quartas justas (quarto grau da escala maior).

Ciclo das Quintas

Como vimos acima, o ciclo das quintas se trata de uma sucessão de notas separadas por intervalos de quintas justas.
No ciclo das quintas, utilizaremos apenas os sustenidos para sinalizar os acidentes.
Para formá-lo, podemos iniciar com a nota Dó, por exemplo. A partir dela, iremos inserir seu quinto grau, que é a nota Sol. Depois, inserimos o quinto grau de Sol, que é o Ré. Continuamos com o raciocínio até chegar ao Dó novamente, onde o ciclo se reinicia. Utilizando este raciocínio, iremos obter a seguinte sequência de notas:
Dó – Sol – Ré – Lá – Mi – Si – Fá# – Dó# – Sol# – Ré# – Lá# – Fá – Dó…

Ciclo das Quartas

O ciclo das quartas tem o mesmo princípio do ciclo das quintas, porém, suas notas são separadas por intervalos de quartas justas.
Outra diferença é que no ciclo das quartas, utilizaremos bemóis para sinalizar os acidentes.
Sendo assim, se iniciarmos com a nota Dó, sua próxima nota será o Fá, que é seu quarto grau. Depois, teremos o Si♭, que é o quarto grau de Fá. Seguindo esta linha de raciocínio até chegar ao Dó novamente, teremos as seguintes notas no ciclo das quartas:
Dó – Fá – Si – Mi – Lá – Ré – Sol – Si – Mi – Lá – Ré  – Sol – Dó…

Utilizando os Ciclos

Antes de utilizar os ciclos, é interessante compreendermos que um ciclo é exatamente o inverso do outro. É isso mesmo! Repare na imagem a seguir que, se analisarmos as escalas no sentido horário (área externa do círculo), teremos o ciclo das quintas, enquanto ao analisarmos no sentido anti-horário (área interna do círculo), teremos o ciclo das quartas:

Ciclo das quintas e ciclo das quartas
Ciclo das quintas e ciclo das quartas

Repare também que as escalas estão organizadas de uma maneira que podemos perceber claramente como os tons relativos se comportam nos ciclos.

Utilizando o Ciclo das Quintas

Vamos montar as escalas maiores utilizando o ciclo das quintas. Para isso, começaremos com a escala de Dó Maior, que não possui nenhum acidente:

Escala de Dó maior
Escala de Dó maior

Agora, seguindo o ciclo das quintas, iremos montar a escala maior de Sol, que é o quinto grau de Dó Maior. Para obtermos a escala de Sol Maior, utilizaremos as notas da escala de Dó Maior, porém, iniciaremos com a nota Sol, que é o primeiro grau da escala que queremos obter. Para finalizar, basta acrescentarmos um # no sétimo grau. Temos então, a escala de Sol Maior:
Escala de Sol maior
Escala de Sol maior

Vamos repetir o procedimento para encontrar a escala maior de Ré, que é o quinto grau de Sol Maior. Sendo assim, utilizaremos as notas da escala de Sol Maior, porém, iniciaremos com a nota Ré, que será o primeiro grau da escala que queremos. Após isso, adicionaremos um # no sétimo grau. Com isso, temos a escala de Ré Maior:
Escala de Ré maior
Escala de Ré maior

Continuando este processo, podemos encontrar todas as escalas maiores e suas escalas relativas menores, utilizando o ciclo das quintas. Veja a tabela a seguir:

Escala Sol Mi Si Fá# Dó#
Quantidade
de Acidentes
1 2 3 4 5 6 7
Quais Acidentes Fá# Dó# Sol# Ré# Lá# Mí# Sí#

Analisando a tabela acima, é importante observar que, ao montarmos as escalas utilizando o ciclo das quintas, a escala seguinte sempre terá um acidente a mais que a escala anterior. Por exemplo: Dó Maior não tem acidentes. Sol Maior (que é o quinto grau de Dó Maior) tem um acidente (F#). Ré Maior (que é o quinto grau de Sol Maior) tem dois acidentes (F# e C#), e assim por diante…

Utilizando o Ciclo das Quartas

Para montar as escalas maiores utilizando o ciclo das quartas, vamos iniciar também com a escala de Dó Maior, que não possui acidentes em sua formação:

Escala de Dó maior
Escala de Dó maior

Agora iremos montar a escala de maior de Fá, que é o quarto grau de Dó Maior. Utilizaremos as notas da escala de Dó Maior, porém, iniciaremos com a nota Fá, que é o primeiro grau da escala que estamos montando. Devemos acrescentar um ♭ no quarto grau. Temos então, a escala de Fá Maior:
Escala de Fá maior
Escala de Fá maior

Mantendo o raciocínio, montaremos agora a escala maior de Si♭, que é o quarto grau da escala de Fá Maior. Vamos utilizar as notas da escala de Fá Maior, mas iniciaremos com a nota Si♭, que o primeiro grau da escala que queremos. Adicionamos um ♭ no quarto grau e teremos então, a escala de Si Maior:
Escala de Sib maior
Escala de Sib maior

Ao seguirmos este processo, encontraremos todas as escalas maiores e suas escalas relativas menores, utilizando o ciclo das quartas. Veja a tabela a seguir:

Escala Si Mi Sol
Quantidade
de Acidentes
1 2 3 4 5 6 7
Quais Acidentes Si♭ Mi♭ Lá♭ Ré♭ Sol♭ Dó♭ Fá♭

Observando a tabela acima, percebemos que, assim como no ciclo das quintas, ao montarmos as escalas utilizando o ciclo das quartas, a escala seguinte sempre terá um acidente a mais que a escala anterior: Fá Maior tem um acidente. B♭ Maior (que é o quarto grau de Fá Maior) tem dois acidentes. E♭ Maior (que é o quarto grau de B♭ Maior) tem Três acidentes e assim por diante…

Passando para o Instrumento

Agora que você já sabe o que são os ciclos, experimente tocá-los no seu instrumento.
Calcule e execute cada intervalo calmamente e não tenha pressa, afinal, ela é inimiga da perfeição.
Lembre-se sempre de utilizar o metrônomo, para auxiliar no desenvolvimento de sua técnica.
Confira também nossos vídeos mostrando como tocar as Escalas Maiores no Violão/Guitarra utilizando os Ciclos de Quartas e de Quintas:

Ciclo de Quartas:

Ciclo de Quintas:


Bons estudos!

4 comentários em “Ciclo das Quintas e Ciclo das Quartas: Tudo o que você precisa saber”

Deixe um comentário