Escala Alterada

Quando falamos em acordes Dominantes uma das escalas mais comentadas é a Escala Alterada.

Essa escala ganhou muita popularidade e recorrência no ambiente do jazz e da bossa nova, devido a sua sonoridade complexa e diferenciada.

Formação da Escala Alterada

As Notas de Acorde e tensões da Escala Alterada são:

Escala Alterada
  • Tensões da Escala Alterada: 1 – Tb9 – T#9 – 3 – Tb5 – T#5 – b7
  • Acordes Possíveis: V7(#5 #9) – V7(b5 b9) – V7(#5 b9) – V7(b5,#9) – G alt*.

* Este tipo de cifragem claro o desejo do compositor de utilizar a Escala Alterada. Ao ver uma cifra deste tipo, já tenha em mente que você pode usar a Escala Alterada.

Ela pode ser utilizada em qualquer situação de preparação, seja para acordes maiores, seja para acordes menores.

Além disso, existem contextos em que sua utilização se torna mais especial, onde suas tensões são mais diatônicas:

  • V7 > IIIm (no tom maior)
  • V7 > Vm (no tom menor)

Contudo, lembre-se, ela pode ser utilziada em qualquer contexto de preparação.

Devemos ter em mente aqui o que já falamos em outros posts sobre as escalas para acordes dominantes:

Você pode gerar uma surpresa agradável, se aplicá-la da maneira correta, como também pode gerar uma sonoridade desagradável, especialmente se utilizar essa escala em acordes que não são alterados.

Por exemplo, vimos que a Escala Alterada possui tensões b9 , #9, b5 e #5. Logo, ela não é uma boa escolha caso tenhamos um dominante com 9 ou 13, por exemplo, pois as tensões da escala irão chocar com o acorde, ou com a melodia (caso a 9 e/ou a 13 estejam na melodia).

Escala Alterada e Menor Melódica

Muita atenção agora, hein:

Podemos montar a Escala Alterada utilizando a Escala Menor Melódica 1 semitom acima do Acorde Dominante em questão.

Por exemplo, se você quer montar a Escala Alterada de C7, basta montar a Escala Menor Melódica de C#.

Veja como Funciona:

Escala Alterada e Menor Melódica

Apenas tome cuidado, pois, se você quer a Escala Alterada você tem que pensar as tensões da a partir do acorde Dominante, e não da Menor Melódica que você tocou 1 Semitom acima.

Por exemplo, ao tocar a Menor Melódica de C# sobre um C7, tenha em mente que a nota C# não é sua tônica, ela é a b9 porque, no fundo, você está tocando a Escala Alterada de C7.

Isso vale para todas as outras notas.

Esse recurso é uma boa forma de você ganhar tempo na montagem da Escala Alterada.

Escala Alterada e Mixo #11.

A Escala Alterada e Mixo #11 possuem uma forte relação.

Se você pegar as notas da Escala Alterada a partir da b5, ou seja, um trítono de distância acima, você terá a Escala Mixo #11 da tonalidade da b5, por exemplo:

Essa é mais uma forma de enxergar a relação entre a Escala Alterada e a Menor Melódica, pois a Mixo #11 também é gerada a partir da Menor Melódica.

E agora?

Se você almeja ser um musicista de alto nível, saiba que essa escala é essencial, especialmente se seu som for voltado para o jazz/bossa.

O que não quer dizer que você não possa usar a Escala Alterada em outros estilos, apenas lembre-se do contexto.

Pratique bastante essa Escala em todos os Tons até chegar ao ponto que toque ela de forma tranquila e segura.

A partir daí começa a testar a sonoridade dela nos acordes em que ela seja bem-vinda.

Bons Estudos ,

Grande Abraço.

Deixe um comentário