Escala Pentatônica: Tudo que Você Precisa Saber

Compartilhe a Música

Você já ouviu falar na Escala Pentatônica? Se você toca guitarra, principalmente, muito provavelmente já deve ter ouvido falar nela.
Essa escala é uma das mais utilizadas, não só pelos guitarristas, mas por vários instrumentistas, pois é uma das escalas mais versáteis que existem.
Ela é consagrada em estilos como rock e o blues, porém, pode ser aplicada em vários outros gêneros musicais.
Atenção guitarristas! Vamos finalmente conhecer a Escala Pentatônica, aprender os 5 shapes que podemos formar a partir dela, e entenderemos como utilizar esses shapes.

Formação da Escala Pentatônica

A Escala Pentatônica, como o próprio nome diz, possui 5 notas, e ela pode ser formada tanto no modo maior, como no modo menor.
Comparando com a Escala Maior, a pentatônica possui 2 notas a menos. Essas duas notas que foram retiradas são justamente as duas notas que podem soar mal no contexto da improvisação.
Basicamente, só nos sobram as notas que quase sempre, irão soar bem! Por isso ela é tão utilizada. Além da sua versatilidade, ela é ótima pra quem está começando a improvisar, pois dificilmente você irá tocar notas que irão chocar com o acorde.
Claro que sempre devemos prestar atenção em qual acorde está ocorrendo no momento em que estamos improvisando e queremos repousar em uma nota. Porém, a pentatônica facilita demais a nossa vida.
Temos, então, duas formas da Escala Pentatônica:

  • Maior: T – 2 – 3 – 5 – 6
  • Menor: T – b3 – 4 – 5 – b7

Obs.: T = Tônica, ou Grau I.
Isso quer dizer que, se você está no tom de Dó maior, por exemplo, é só extrair os notas dos graus 1, 2, 3, 5 e 6 e você terá formado a Escala Pentatônica de Dó maior.
Da mesma forma, ao extrair os graus 1, b3 ,4 5 e b7 você terá formado a Escala Pentatônica de Dó menor.
As notas das duas escalas ficarão assim:

  • Escala Pentatônica Dó Maior: C, D, E, G A
  • Escala Pentatônica Dó Menor: C, Eb , F , G , Bb

Uma boa forma de estudar a formação das escalas pentatônicas é aplicar essa fórmula a várias tonalidades para você ir se acostumando com tais formações.
Veja o vídeo abaixo para te ajudar a compreender melhor a escala pentatônica:

Shapes da Escala Pentatônica

Agora, para os guitarristas de plantão, vamos conhecer os 5 shapes que temos ao longo do braço da guitarra.
Eles estão formados a partir do tom de Am (Lá menor).

Shapes Pentatônica Am

Penatonica shapes
Shapes Pentatônica Am

Obs.: Os círculos estão marcando a Tônica da Escala, que no caso é a nota Lá.
O primeiro passo é decorar cada um desses shapes e também perceber a sonoridade da escala. Afinal, estamos falando de música, e, por mais que o visual ajude (shapes), o ouvido é sempre o mais importante!

Como utilizar os Shapes?

Ao estudar os shapes você deve decorar e associar cada um à um modelo (modelo 1, modelo 2, etc…).
Perceba que independente da tonalidade, a ordem dos modelos sempre irá se manter. Por exemplo, as figuras acima estão em Am. Se você sabe onde começa o primeiro modelo, já sabe também onde irão entrar os outros.
A mesma coisa serve para qualquer tom. Vamos ver no tom de Cm. O primeiro shape (da primeira região do braço , na casa 3)  que temos é modelo 5, logo, o próximo shape será do modelo 1, depois do modelo 2, e assim por diante.

Penatonica shapes
Shapes Pentatônica Cm

Agora, porque que no tom de Dó o o primeiro shape é o modelo 5?
Você deve sempre se lembrar da formação da escala pentatônica. Como estamos utilizando a pentatônica menor (Cm), é a formação dela que será nossa referência.
Ao montarmos nossa Escala Pentatônica de Dó menor, temos as notas C, Eb , F , G e A. Devemos então procurar naquela primeira região do braço essas notas. Ao localizarmos tais notas, veremos que elas resultam no shape do modelo 4! Foi por isso que começamos com ele no tom de Dó menor.

Outra forma de Raciocínio

Existe uma forma de se pensar nos shapes, que acho interessante, que é pensar a primeira nota de cada modelo como um intervalo em relação ao tom que você está.
Vamos com calma. Temos 5 notas e 5 modelos de Escala Pentatônica. Cada um desses modelos irá começar em uma das notas (ou graus) da Escala Pentatônica, logo cada modelo será de um dos intervalos da escala.
Pegando o tom de Am, por exemplo. O primeiro modelo começa na nota sol. Como sabemos bem graças ao nosso estudo de Intervalos, a nota sol é a b7 da tonalidade de A. Sendo assim, o modelo 1 é o modelo da b7.
Abaixo temos os 5 shapes da Pentatônica com a referência intervalar da primeira nota do shape em relação à tonalidade!

Penatonica shapes
Shapes Pentatônica Am – Intervalos

Pense agora em outro tom, por exemplo Ré. Quem é a b7 de Ré?? A resposta é a nota Dó. Dessa forma, se estivermos no tom de Ré, o modelo 1 (que é o modelo da b7) deve ser realizado começando na nota Dó, pois ela é  b7 do Ré.
Outro exemplo, agora no tom de Si. A b7 de Si é a nota Lá. Logo o modelo 1 (b7) deve ser iniciado na b7, que é a nota Lá.
Pode parecer meio confuso no início, mas eu acho esse raciocínio efetivo e , principalmente, agregador, pois ao mesmo tempo em que estamos treinando os shapes da Escala Pentatônica, estamos também treinando nosso raciocínio rápido sobre intervalos. São dois treinos em um!

Pentatônica Menor x Maior

Você já deve ter percebido que todos os exemplos até agora foram pensados na Pentatônica Menor, certo?
Fique tranquilo, para a Pentatônica Maior temos os mesmo 5 shapes da menor, o que muda apenas é a referência!
Lembra que o padrão de intervalos da Escala Pentatônica Maior é diferente da Menor?! Pois é, pensando na Penta maior, nós devemos utilizar os intervalos dela como referência.
Logo abaixo, temos as mesmas figuras da pentatônica, só que agora, com as referências intervalares tanto da Maior quanto da Menor. Note que a referência dos shapes muda do modo Maior para o modo Menor.

Penatonica shapes
Shapes Pentatônica Am – Intervalos Maior e Menor

Pentablues: A “blue” Note

Um recurso muito explorado pelos guitarrista para dar uma “sofisticada” na Escala Pentatônica é a chamada “blue” note.
A “blue” note é a nota localizada uma 4aum, ou 5dim, da tonalidade em questão. Por exemplo, no tom de Dó, a blue note seria o F,# ou Gb.
Ao adicionarmos a blue note temos uma escala de 6 notas com uma sonoridade extremamente interessante.
Esta nota é ótima para ser utilizada como passagem e também para gerar uma tensão diferente ao improviso.
Ela nem sempre é tão boa como nota de repouso, mas tudo depende do contexto em que você a utiliza.
Abaixo temos os 5 shapes com a blue note adicionada:

Penatonica shapes
Shapes Pentablues Am – Intervalos

Praticando…

Agora que você entendeu como é formada a Escala Pentatônica e a Pentablues, está na hora de praticar.
Nosso bom e velho amigo metrônomo é sempre o mais indicado para começarmos a estudar os shapes e ganhar desenvoltura neles.
Após ter dominado os shapes (com suas referências) procure praticar com algumas backing tracks do youtube, elas são ótimas para você começar  desenvolver ideias e sentir a sonoridade das escalas nos improvisos.

4 comentários em “Escala Pentatônica: Tudo que Você Precisa Saber”

Deixe um comentário