Sub V7: O Dominante Substituto

Para dar continuidade à nossa série de assuntos relacionados ao tema das preparações, falaremos hoje sobre o Sub V7.

Já vimos as preparações com dominantes primários, dominantes secundários e também o desmembramento de ambas.

Agora está na hora de tratarmos de mais uma alternativa existente nas preparações dos caminhos harmônicos.

O que significa Sub V7?

O termo se refere à um acorde substituto do V7 – abreviando temos Sub V7.

O que é o Sub V7?

Trata-se de um acorde de estrutura dominante que possui a mesma sensível (7M) e o mesmo trítono da tonalidade, porém, com baixo em outra nota.

Este acorde está localizado uma 5dim acima do acorde V7 e pode substituí-lo na preparação do Grau I.

Lembra que a preparação ocorre quando temos a sensível presente no acorde dominante (V7)?

O Sub V7 mantém essa ideia, aplicada em outro acorde.

Ainda não tá claro?

Vamos analisar no tom de Dó maior.

  • o dominante primário (V7) da tonalidade de Dó é o G7;
  • este acorde possui a nota Si (sua terça maior);
  • em relação a tonalidade, a nota Si é a sensível (sétima maior);

Agora vamos analisar o acorde localizado uma 5dim acima do G7.

  • este acorde é o Db7;
  • as notas dele são: Ré, Fá, Lá bemol e Dó bemol;
  • enarmonizando a nota Dó bemol temos a nota Si;
  • temos, então, a sensível da tonalidade – nota Si;
  • temos também o trítono da tonalidade – Si/Fá;

Sub V7

 

Perceba que entre o G7 é o Db7 temos basicamente a nota do baixo diferente, além da nota Lá bemol, que não ocorre no G7.

São acordes que compartilham notas e, dentre elas, a sensível e o trítono, as duas principais características de um acorde preparatório.

Entendeu por que o acorde localizado uma 5dim do acorde V7 pode ser um substituto do Dominante?!

Essa é mais uma possibilidades que temos para preparar os acordes alvo.

Outra maneira de pensar…

Você também pode pensar que o Sub V7 está 1 Semitom acima do acorde alvo (Grau I).

Só tome cuidado na hora de cifrar o acorde para na utilizar a enarmonia errada.

Por exemplo, se você pensar um 1 Semitom acima de Dó (que é nosso alvo) pode acabar pensando no acorde de C#7. Porém, ele seria a 4aum do acorde dominante (G7) e não a 5dim.

Então tome cuidado, este raciocínio de que o Sub V7 está 1 Semitom acima do acorde alvo é válido, porém, com a ressalva de se atentar a utilização da enarmonia do acorde correto.

Análise Harmônica do Sub V7

Toda vez que ocorre uma preparação com Sub V7, devemos sinalizá-la com uma seta pontilhada:

Sub V7

Vale Frisar que o SubV7 pode ser desmembrado, ou seja, vir acompanhado de um dois Cadencial, gerando a sequência IIm7 – Sub V7 – I.

O dois cadencial é em relação ao acorde alvo. No caso de Dó, seria o Dm7. Observe:

Sub V7

Repare no caminho cromático descendente que o baixo percorre: D,Db,C. Este recurso é muito explorado na hora de utilizarmos o Sub V7.

Sub V7 Secundário

Assim como os acordes diatônicos do campo harmônico, além do Grau I, podem ter seus próprios dominantes, eles também podem ter seus próprios Sub V7.

Ou seja, em Dó maior, nós podemos preparar um F7M com seu próprio Sub V7, resultando em um Sub V7 secundário.

Acompanhe o raciocínio, pensando na tonalidade de Dó maior:

  • F7M possui seu próprio dominante, ou seja, um dominante secundário;
  • esse dominante que prepara F7M é o C7, como já vimos no post sobre dominantes secundários;
  • o substituto desse dominante, ou seja, o Sub V7 de C7 seria o Gb7;
  • o SubV7 que prepara F7M é o Gb7;
  • consideramos ele como Sub V7 secundário pois o tom principal é Dó maior, e não Fá.

Sub V7

Vem Mais Por Aí…

Quando falamos sobre Preparações você já deve ter percebido que o assunto é extenso, né?!

Pois é, e ainda não acabou.

O Próximo passo é ver como os acordes diminutos podem servir como preparação para os acordes do Campo Harmônico.

Teremos mais uma possibilidade na hora de compor e harmonizar.

Fique ligado! Não deixe de perguntar e tirar suas dúvidas nos comentários.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.