12 Coisas que Você Precisa Saber Quando Aprender um Instrumento

Aprender a tocar um instrumento musical é uma das atividades mais benéficas que existem para o ser humano.

Mas se ela faz tão bem assim para todos, por que muitas pessoas desistem?!

Essa pergunta é muito pertinente, e tem muito mais a ver com a mentalidade da pessoa do que com a própria experiência em si.

Existem diversas situações que acontecem com quase todos que aprendem a tocar um instrumento, entretanto alguns continuam, e muitos param!

O fato de, muitas vezes, não estarmos preparados para estas situações e a forma como as encaramos são definidores na hora de darmos continuidade ao aprendizado.

Partindo desse princípio, listamos aqui 12 “lições” que você deve carregar consigo na hora de aprender a tocar um instrumento.

Essas lições são baseadas em diversas experiências com os alunos de nossa Escola Física, além da nossa própria experiência pessoal.

1. Equilíbrio na Hora do Perfeccionismo

Pode ter certeza, 99% das pessoas não vão conseguir tirar um som limpinho e perfeito do instrumento logo de cara!

Por mais que incomode nosso ouvido, às vezes temos que “passar por cima” de uma nota um pouco “suja” e tentar tocar o todo. Não deixe uma mísera nota te impedir de tocar uma música inteira.

Se só ela estiver “falhando”, tente corrigir aos poucos, porém, não pare todo o aprendizado para focar apenas nela. Com o tempo, ela também vai melhorar.

Agora, estamos falando de equilíbrio, cuidado para não “passar por cima” de várias notas sujas e vários erros!

Caso você perceba que o som de várias notas, ou partes da música estejam ruins, talvez você esteja aplicando alguma técnica errada, ou não tenha treinado aquelas partes o suficiente. Aí vale a pena focar, corrigir esses erros e limpar seu som.

Não deixe que o perfeccionismo te prenda, mas também não deixe tudo ser “levado nas coxas”!

2. De Graça Pode ser Mais Caro

Para aprender a ler e escrever nós pagamos, para aprender um esporte nós pagamos, para aprender inglês nós pagamos, para aprender a atuar nós pagamos!

Porque com música seria diferente?!

Você vai achar uma infinidade de conteúdo gratuito e de qualidade na internet. Porém, dificilmente terá algo bem organizado, que segue um cronograma lógico e estruturado. Tem muita coisa solta por aí que não tem uma “amarração”.

Além disso, existe um “limite” do nível de conhecimento gratuito disponível online.

Com relação à assuntos mais avançados, até na internet não é tão fácil assim achar coisas gratuitas. E quando achamos, elas normalmente não estão muito bem explicadas.

aprender instrumento

Algumas vantagens de se pagar por um curso, ou professor particular são:

  •  Você vai ter a garantia de seguir uma ordem natural das coisas, sem pular etapas;
  •  Suporte direcionado à seus próprios objetivos e necessidades;

Hoje em dia existem diversas opções bem baratas e online (caso você não tenha tempo de fazer presencial).

Pesquise, procure opiniões de pessoas que são referências nos assuntos e escolha o método, ou curso, que mais te passe confiança e atenda suas necessidades.

Claro que existem as exceções e você pode ser muito amigo de uma pessoa craque em um instrumento e aprender com ele de graça. Ou você pode fazer aulas em cursos comunitários gratuitos que também podem ter boa qualidade. Mas como falei, são exceções. E aqui, trabalhamos com as regras.

3. Conforto é Muito Importante

Na hora de escolher seu instrumento, preze pelo conforto!

Quando vamos comprar nosso primeiro instrumento sempre queremos aquele com o melhor som, porém, deixamos de lado uma das coisas que mais pesa no início do aprendizado: O conforto!

Nosso ouvido é muito leigo no começo. Pra que comprar um instrumento com som tão bom, mas as vezes “duro” e desconfortável?!

Nem temos o ouvido treinado para identificar certas diferenças sensíveis na sonoridade. Mas os braços, mãos, dedos e pernas precisam estar em contato com um instrumento leve, confortável e que você se sinta bem ao tocar.

Veja bem, não estou dizendo que o som não é importante! Ele é muito! Afinal, estamos falando de música. Mas não se esqueça de levar em consideração o conforto.

4. A postura Também

Já falamos em outro post sobre a postura no instrumento. Mas aqui também é pertinente ressaltar.

Sempre atente em estabelecer e manter a postura correta na hora de tocar seu instrumento. Uma postura errada traz prejuízos, não apenas para o aprendizado, mas para seu corpo ao longo da sua vida.

aprender instrumento

5. Ouvido se Treina

Ouvido absoluto ou relativo?!

Este assunto é polêmico, mas o foco aqui não é isso.

Vamos falar aqui baseado nas pessoas que tem o ouvido “leigo”, ou “infantil”, ou seja, aquele ouvido que não é apurado (a grande maioria).

Quando estamos no jardim de infância temos contato, logo de cara, com cores e aprendemos seus nomes e associações. Com o passar do tempo somos perfeitamente capazes de identificar as mais variadas cores.

Por que isso não ocorre com as notas?

Justamente porque ninguém fez esse mesmo trabalho (de associar cores a nomes) com as notas musicais. Não ficamos desde pequenos sendo treinados a ouvir notas e dar nome à elas. Sendo assim, não desenvolvemos tão profundamente nosso sentido da audição.

A dificuldade que sentimos ao treinar nosso ouvido quando aprendemos a tocar instrumentos musicais, principalmente se formos mais velhos, é porque nosso ouvido não foi treinado desde cedo.

E quanto mais tempo se passa, mais vamos preenchendo nossa mente com informações e preocupações e o processo para treinar o ouvido se torna mais longo.

Isso não impede, contudo, que possamos desenvolver melhor nossa audição. Nosso ouvido pode ser treinado, assim como o próprio instrumento que tocamos.

aprender instrumento

Existem exercícios com identificação de notas, intervalos, tipos de acordes e escalas que fortalecem nossa memória auditiva!

6. Rotina e Hábito

Também já comentamos em outro post sobre a importância dos hábitos e da disciplina.

Mesmo assim, prefiro pecar pelo excesso.

Vai treinar 1h em apenas um dia da semana, ou 20min por três dias seguidos?!

Escolha os 20min diários. Assim você fortalece a criação do hábito! Esse é um dos principais nomes do sucesso para todas as profissões!

Estabeleça uma rotina, e faça com que ela se transforme em hábito.

Sentar e tocar seu instrumento deve ser tão automático quanto pegar o celular e olhar as notificações nas redes sociais.

7. Quanto Mais Cedo Melhor

Falando em hábitos e rotinas. Essa dica é bem interessante.

Se for possível, deixe que seu treino seja a primeira coisa (após tomar um bom café da manhã) do seu dia.

Você está renovado do sono e da alimentação, com a cabeça limpa e cheio de energia. O rendimento é sempre melhor.

8. Pare de Palhaçada e Use o Metrônomo

Se eu pudesse eu publicaria todo dia o mesmo artigo falando da importância do metrônomo.

Ele é o melhor aliado que você pode ter na hora dos estudos!

como usar metronomo

Se quiser saber melhor como ele funciona, clique aqui.

Ele te permite reconhecer seus limites e, a partir daí, traçar estratégias e metas para superá-los. Além do fato de ser utilizado em qualquer gravação, minimamente profissional.

9. Não Existe Poção Mágica

“Aprenda a tocar 10 solos em 2 meses!”. “Tudo sobre teoria musical em 3 meses”…

Desconfie desse tipo de produto!

A pessoa que criou o curso pode até ter aprendido nesse tempo. Isso não quer dizer vai acontecer com você.

O aprendizado envolve muitas variáveis. Ninguém tem a mesma rotina e quantidade de horas semanais para estudar; alguns métodos funcionam melhor para uns e não funcionam para outros.

aprender instrumento

Esse tipo de anúncio que promete muito em pouco tempo não condiz com nem um pouco com o aprendizado na música. O processo é importante demais, você deve curtir cada etapa e pequena evolução.

É claro que devemos ter metas e até prazos para estar dominando certos assuntos, porém, as coisas não são tão rápidas assim.

Quando mais você otimizar seu tempo e seu treino, melhor, você vai evoluir mais rápido. Mas nada acontece de uma hora para outra.

A coisa muda muito quando vemos a ementa ou programa de um curso e observamos um cronograma bem estabelecido, um tempo sugerido de conclusão que tem margem para mais ou para menos e que promete evolução contínua, gradual e processual. Aí sim podemos confiar.

10. Observe na Prática

Procure assistir a shows e eventos ao vivo! Observe os músicos que admira, e veja o que fazem.

Converse com profissionais, tire suas dúvidas. Sugue ao máximo as dicas e ideias de quem você tem proximidade e que esteja envolvido no meio musical.

Respirar e conviver em ambientes de música é fundamental. Se envolva em lugares com essa atmosfera, você pode aprender muito.

11. Qual Instrumento Aprender?

Não existe muito essa de um instrumento mais difícil que o outro. Existem instrumentos em que você pode ter aptidão ou não.

De qualquer forma, aprenda aquele instrumento que você sempre quis, que sempre mexeu com você. Não existe melhor forma de se motivar do que essa.

Mesmo que você possa ter uma dificuldade inicial, você terá gás e vontade de superar essas barreias, pois é o instrumento que sempre desejou aprender.

12. Seu Mindset te Eleva ou te Diminui?

aprender instrumento

Por fim, de nada adianta, se você não acredita que pode aprender.

Você é daquelas pessoas que acreditam no talento nato ou no esforço e dedicação?

Eu acredito no esforço! Conheço várias pessoas com talentos incríveis na música que não decolam suas carreiras por que acham que podem se garantir apenas com eles.

Da mesma maneira, conheço pessoas que tinham “zero” aptidão com o instrumento e hoje são músicos incríveis e bem sucedidos.

A crença na evolução, no processo e na superação de suas próprias barreiras é fundamental para que você aprenda. Se você só acredita no talento, então pode tocar apenas por hobbie.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.